Borderline, Transtorno, Personalidade, Causa, O que é Borderline (2022)

PUBLICIDADE

Borderline – Definição

Otranstorno de personalidade borderline (TPB)é um transtorno mental caracterizado por relacionamentos interpessoais e autoimagem perturbados e instáveis, juntamente com comportamento impulsivo, humor instável e comportamento suicida. Isso pode levar a uma variedade de outros problemas mentais e do comportamento de stress.

Comtranstorno depersonalidade borderline, você pode ter uma auto-imagem muito distorcido e se sentir inútil e fundamentalmente falho. Raiva, impulsividade e freqüentes mudanças de humor podem empurrar os outros para longe, mesmo que você deseja ter relacionamentos amorosos e duradouros.

Se você temtranstorno de personalidade borderline, não desanime. Muitas pessoas com este transtorno ficar melhor com o tratamento e pode viver uma vida satisfatória.

Transtorno de personalidadeborderlineafeta o modo como você se sente sobre si mesmo, como você se relaciona com os outros e como você se comporta.

Borderline – O que é

Indivíduos comtranstorno de personalidade borderline (TPB)têm um histórico de relacionamentos interpessoais instáveis.

Eles têm dificuldade em interpretar a realidade e veem as pessoas importantes em suas vidas como completamente perfeitas ou extremamente injustas e indiferentes (um fenômeno conhecido como “divisão”).

Esses sentimentos alternados de idealização e desvalorização são uma das principais características do transtorno de personalidade limítrofe.

Como os pacientes limítrofes criam expectativas excessivas e irreais para os outros, eles ficam inevitavelmente desapontados quando suas expectativas não são realizadas.

O termo “borderline” foi originalmente usado pelo psicólogo Adolf Stern na década de 1930 para descrever pacientes cuja condição beirava algo entre psicose e neurose, embora hoje o termo “borderline” usado nesse sentido seja considerado um equívoco. O termo é melhor aplicável hoje para descrever os estados limítrofes de consciência que esses pacientes às vezes sentem quando experimentam sintomas dissociativos (um sentimento de desconexão de si mesmo). A própria síndrome é considerada um transtorno complexo, em vez de estar na fronteira entre a psicose e a neurose.

Transtorno de personalidade borderlineé uma doença mental grave caracterizado por humor instável, comportamento e relações. Em 1980, o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, terceira edição (DSM-III) listados transtorno de personalidade borderline como uma doença diagnosticável pela primeira vez.

A maioria dos psiquiatras e outros profissionais de saúde mental usam o DSM para diagnosticar doenças mentais.

Porque algumas pessoas comtranstorno de personalidade borderlinegrave têm episódios psicóticos breves, os especialistas pensava desta doença tão atípico, ou limítrofe, versões de outros transtornos mentais

Embora os especialistas de saúde mental agora geralmente concordam que o nome de “transtorno de personalidade borderline” é enganosa, um termo mais exato ainda não existe.

A maioria das pessoas que têm transtorno de personalidade borderline sofre de:

Problemas com regulam emoções e pensamentos
Comportamento impulsivo e irresponsável
Relacionamentos instáveis com outras pessoas.

As pessoas com este transtorno também têm altas taxas de transtornos co-ocorrem, tais como depressão, transtornos de ansiedade, abuso de substâncias e distúrbios alimentares, juntamente com a auto-mutilação, comportamentos suicidas e suicídios.

Transtorno de personalidade borderlineé muitas vezes visto como difícil de tratar. No entanto, pesquisas recentes mostram que o transtorno de personalidade borderline pode ser tratada de forma eficaz, e que muitas pessoas com esta doença melhorar ao longo do tempo.

Borderline – Causas

Borderline, Transtorno, Personalidade, Causa, O que é Borderline (1)
Transtorno de personalidade borderline

Tal como acontece com outros transtornos mentais, as causas dotranstorno de personalidade borderlinenão são totalmente compreendidos. Os especialistas concordam, porém, que a desordem resulta de uma combinação de fatores.

Em cerca de 24% dos casos, há histórico de abuso sexual na infância e, em cerca de um terço dos casos, há histórico de algum tipo de abuso grave. Assim, o abuso é considerado um fator de risco, mas é um contribuinte ambiental pensado para interagir com uma base genética. Estudos com gêmeos sugeriram que pelo menos algumas características desse distúrbio são altamente hereditárias.

Instabilidade de humor e impulsividade são cerca de 50% hereditárias, e estudos detranstorno de personalidade borderlinesugerem especificamente um nível semelhante de herdabilidade.

A causa biológica raiz pode ser interrupções nas vias de sinalização envolvendo a serotonina, uma molécula de sinalização nervosa, mas são necessários mais estudos para confirmar a base biológica.

Os sentimentos de inadequação e auto-aversão que surgem de situações de abuso ou negligência podem contribuir para o desenvolvimento de uma personalidade limítrofe.

Também foi teorizado que esses pacientes tentam compensar os cuidados que lhes foram negados na infância por meio das demandas idealizadas que agora fazem a si mesmos e aos outros quando adultos.

Fatores que parecem susceptíveis de desempenhar um papel incluem:

Geneticos:Alguns estudos de gêmeos e famílias sugerem que os transtornos de personalidade podem ser herdados ou fortemente associados com outros transtornos mentais entre os membros da família.
Fatores ambientais:
Muitas pessoas com transtorno de personalidade borderline têm uma história de abuso na infância, negligência e separação de cuidadores ou entes queridos.
Anormalidades cerebrais:
Algumas pesquisas mostraram alterações em determinadas áreas do cérebro envolvidas na regulação emocional, impulsividade e agressividade. Além disso, certas substâncias químicas do cérebro que ajudam a regular o humor, como a serotonina, podem não funcionar corretamente.

Borderline – Os fatores de risco

Personalidade é moldada tanto por tendências hereditárias e fatores ambientais, bem como as experiências durante a infância.

Alguns fatores relacionados ao desenvolvimento da personalidade pode aumentar o risco de desenvolvimento detranstorno de personalidade borderline.

Estes incluem:

Predisposição hereditária:Você pode estar em um risco maior se um membro próximo da família – sua mãe, pai, irmão ou irmã – tem o mesmo ou um distúrbio similar, particularmente um humor ou transtorno de ansiedade.
Abuso na infância:
Muitas pessoas com o transtorno de relatório a ser sexualmente ou fisicamente abusadas durante a infância.
Negligência:
Algumas pessoas com o transtorno descrever privação grave, negligência e abandono durante a infância.

Além disso, otranstorno de personalidade borderlineé diagnosticada mais frequentemente em adultos jovens e mulheres adultas do que nos homens.

Borderline – Complicações

Borderline, Transtorno, Personalidade, Causa, O que é Borderline (2)
Transtorno de personalidade borderline

Transtorno de personalidade borderlinepode danificar muitas áreas de sua vida. Ela pode afetar negativamente as relações íntimas, trabalhos, escola, atividades sociais e de auto-imagem.

Perdas de emprego repetidas e casamentos desfeitos são comuns. Auto-lesão, como cortar ou queimar, pode resultar em cicatrizes e hospitalizações frequentes.

As taxas de suicídio entre pessoas com BPD são elevados.

Além disso, você pode ter outros transtornos de saúde mental, incluindo:

Depressão
Álcool ou substância de abuso e dependência
Os transtornos de ansiedade
Os transtornos alimentares
O transtorno bipolar

Por causa de risco, comportamento impulsivo, que também são mais vulneráveis à gravidez não planejada, doenças sexualmente transmissíveis, acidentes de veículos a motor e brigas físicas.

Você pode também estar envolvidos em relacionamentos abusivos, seja como o agressor ou o abusado.

Borderline – Sintomas

Borderline, Transtorno, Personalidade, Causa, O que é Borderline (3)
Transtorno de personalidade borderline

O manual utilizado pelos profissionais de saúde mental para diagnosticar transtornos mentais é o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM). A edição de 2000 deste manual (quarta edição, texto revisado) é conhecida como DSM-IV-TR. Publicado pela American Psychiatric Association, o DSM contém critérios diagnósticos, resultados de pesquisas e informações sobre tratamento de transtornos mentais.

Otranstorno de personalidade borderline (TPB)foi listado pela primeira vez como um transtorno na terceira edição do DSM-III, publicada em 1980, e foi revisada nas edições subsequentes.

Sinais e sintomas de transtorno de personalidade borderline podem incluir:

Comportamento impulsivo e de risco, tais como a condução arriscada, sexo inseguro, folias apostas ou uso de drogas ilegais
Consciência de um comportamento destrutivo, incluindo a auto-lesão, mas às vezes sentindo-se incapaz de mudá-lo
Mudanças de humor de largura
Episódios curtos, mas intensos de ansiedade ou depressão
Raiva inadequada e comportamento antagônico, às vezes escalada em brigas físicas
Dificuldade em controlar emoções ou impulsos
Comportamento suicida
Sentindo-se incompreendido, negligenciado, sozinho, vazio e sem esperança
O medo de ficar sozinha
Sentimentos de auto-ódio e auto-aversão

Quando se temtranstorno de personalidade borderline, muitas vezes você tem um sentido inseguro de quem você é. Sua auto-imagem, auto-identidade ou senso de auto muitas vezes muda rapidamente.

Você pode ver a si mesmo como um mal ou ruim, e às vezes você pode sentir como se você não existisse. Uma auto-imagem instável, muitas vezes leva a frequentes mudanças de empregos, amizades, valores e objetivos.

Seus relacionamentos são geralmente em tumulto. Você pode idealizar alguém em um momento e, em seguida, de forma abrupta e dramática mudança de fúria e ódio sobre deslizes percebidos ou mesmo menores mal-entendidos. Isso ocorre porque as pessoas comtranstorno de personalidade borderline, muitas vezes têm dificuldade em aceitar as áreas cinzentas – as coisas parecem ser preto ou branco.

Borderline – Diagnóstico

Otranstorno de personalidade limítrofegeralmente aparece pela primeira vez no início da idade adulta, com a idade usual de início em torno de 18 anos. Embora o transtorno possa ocorrer na adolescência, pode ser difícil de diagnosticar, uma vez que sintomas limítrofes, como comportamentos impulsivos e experimentais, insegurança e alterações de humor, são ocorrências comuns – mesmo apropriadas ao desenvolvimento – nessa idade.

A avaliação é baseada primeiro na determinação de se a pessoa atende ou não a pelo menos cinco dos nove critérios do DSM-IV-TR.

A próxima etapa geralmente envolve a conclusão de uma avaliação de personalidade, que envolve entrevistar o paciente, mas também pode envolver perguntas a familiares ou amigos, com a concordância do paciente.

Por último, os sintomas detranstorno de personalidade borderline (TPB)que sugerem o diagnóstico devem estar presentes de forma consistente ao longo do tempo.

Os sintomas limítrofes também podem ser o resultado de abuso crônico de substâncias e/ou condições médicas (especificamente, distúrbios do sistema nervoso central).

Estes devem ser descartados antes de fazer o diagnóstico de transtorno de personalidade limítrofe.

Otranstorno de personalidade borderline (TPB)geralmente ocorre com transtornos de humor (ou seja, depressão e ansiedade),transtorno de estresse pós-traumático (TEPT), transtornos alimentares, transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH) e outros transtornos de personalidade. Outra comorbidade acompanhante pode ser transtorno por uso de substâncias.

Também foi sugerido por alguns pesquisadores que o transtorno de personalidade limítrofe não é uma verdadeira condição patológica em si, mas sim uma série de transtornos de personalidade sobrepostos; é, no entanto, comumente reconhecido como um distúrbio separado e distinto pela Associação Psiquiátrica Americana e pela maioria dos profissionais de saúde mental.

É diagnosticado entrevistando o paciente e comparando os sintomas aos critérios do DSM-IV-TR. Testes complementares também podem ser necessários.

Borderline – Tratamento

Borderline, Transtorno, Personalidade, Causa, O que é Borderline (4)
Transtorno de personalidade borderline

Indivíduos comtranstorno de personalidade borderlineprocuram ajuda psiquiátrica e hospitalização em uma taxa muito maior do que pessoas com outros transtornos de personalidade, provavelmente pelo medo do abandono e pela necessidade de buscar relacionamentos interpessoais idealizados. Esses pacientes representam a maior porcentagem de transtornos de personalidade diagnosticados (até 60%).

Fornecer terapia eficaz para o paciente com personalidade limítrofe é um desafio necessário, mas difícil. A relação terapeuta-paciente está sujeita às mesmas exigências inadequadas e irreais que as personalidades limítrofes colocam em todos os seus relacionamentos interpessoais significativos. Eles são “buscadores de tratamento” crônicos que ficam facilmente frustrados com seu terapeuta se sentem que não estão recebendo atenção ou empatia adequada, e raiva sintomática, impulsividade e comportamento autodestrutivo podem impedir o relacionamento terapeuta-paciente. No entanto, seu medo de abandono e de terminar o relacionamento terapêutico pode, na verdade, levá-los a interromper o tratamento assim que houver progresso.

A psicoterapia, geralmente na forma de terapia cognitivo-comportamental, geralmente é o tratamento de escolha para personalidades limítrofes. A terapia comportamental dialética (DBT), uma técnica cognitivo-comportamental, surgiu como uma terapia eficaz para personalidades limítrofes com tendências suicidas.

O tratamento se concentra em dar ao paciente limítrofe autoconfiança e ferramentas de enfrentamento para a vida fora do tratamento por meio de uma combinação de treinamento de habilidades sociais, conscientização do humor e exercícios meditativos e educação sobre o distúrbio. A terapia de grupo também é uma opção para alguns pacientes limítrofes, embora alguns possam se sentir ameaçados pela ideia de “compartilhar” um terapeuta com outros.

A medicação não é considerada uma escolha de tratamento de primeira linha, mas pode ser útil no tratamento de alguns sintomas do transtorno e/ou transtornos de humor que foram diagnosticados em conjunto com otranstorno de personalidade borderline (TPB).

Alguns pacientes comtranstorno de personalidade borderline (TPB)podem tomar vários medicamentos diferentes, cada um projetado para tratar uma das principais manifestações dotranstorno de personalidade borderline, mas não há dados de ensaios clínicos que apoiem esse regime.

Borderline – Prognóstico

O distúrbio geralmente atinge o pico na idade adulta jovem e frequentemente se estabiliza após os 30 anos. 10% se enquadram no grupo de pacientes que morrem por suicídio. Aproximadamente 75-80% dos pacientes limítrofes tentam ou ameaçam suicídio, e entre 8-10% são bem sucedidos. Gerenciar essa tendência suicida altamente prevalente é um dos maiores desafios terapêuticos notranstorno de personalidade borderline (TPB). O comportamento atinge o pico geralmente quando o paciente está em meados dos anos 20, mas a maioria dos suicídios consumados realmente ocorre entre pacientes com mais de 30 anos, geralmente em pacientes que não tiveram recuperação após muitas tentativas de tratamento. Se o paciente borderline sofre de transtorno depressivo, o risco de suicídio é muito maior. Por esta razão, o diagnóstico rápido e as intervenções adequadas são fundamentais.

Comportamentos de automutilação geralmente não são considerados tentativas de suicídio, mas servem como alívio de um estado emocional extremo.

Borderline – Prevenção

As recomendações de prevenção são escassas. Dada a base genética do transtorno, as tecnologias atuais não permitem prevenções direcionadas a esse aspecto de sua etiologia. A única prevenção conhecida seria garantir um ambiente seguro e estimulante durante a infância.

Fonte:www.psych.org/www.bpdcentral.com/www.nimh.nih.gov/ww.encyclopedia.com/www.mayoclinic.com/www.nimh.nih.gov/assets.lybrate.com

Top Articles

Latest Posts

Article information

Author: Rev. Porsche Oberbrunner

Last Updated: 12/14/2022

Views: 5871

Rating: 4.2 / 5 (73 voted)

Reviews: 80% of readers found this page helpful

Author information

Name: Rev. Porsche Oberbrunner

Birthday: 1994-06-25

Address: Suite 153 582 Lubowitz Walks, Port Alfredoborough, IN 72879-2838

Phone: +128413562823324

Job: IT Strategist

Hobby: Video gaming, Basketball, Web surfing, Book restoration, Jogging, Shooting, Fishing

Introduction: My name is Rev. Porsche Oberbrunner, I am a zany, graceful, talented, witty, determined, shiny, enchanting person who loves writing and wants to share my knowledge and understanding with you.